Cyanowater Consultoría fluvial. Servicios en Madrid, España y Europa. Control de especies invasoras, barreras para conducción de peces,  batimetrías, control medioambiental… Equipos y maquinaria fluvial.

Como está a qualidade da água que estamos bebendo?

Todos sabemos da importância de beber água no nosso dia-a-dia para nos hidratarmos adequadamente, já que não somos apenas o que comemos, mas também o que bebemos.

O que nem todo mundo sabe é que não apenas a quantidade de água a ser ingerida é importante, mas também sua qualidade, e que qualidade é a água que bebemos?

Pode-se dizer que a água é de qualidade segundo vários fatores:

  • Que não está contaminado é fundamental, o que significa que não contém substâncias prejudiciais ao organismo. Muitas águas que vêm de depósitos contêm pequenas quantidades de metais, mais cloro do que o adequado, ou mesmo bactérias que não são benéficas para o bom funcionamento do corpo.
  • Que a água é alcalina, isto é, que é carregada de elétrons (energia negativa) e não de prótons (energia positiva), o que tornaria a água ácida. A maior parte da água consumida é ácida, e ainda deve ser alcalino, porque, além de ter minerais, tais como cálcio ou potássio, tem um pH acima de 7, que ajuda a remover o ácido a partir do corpo.

Normalmente a água é mineralizada naturalmente quando precipita na superfície. Portanto, isso significa que os elementos que ela contém dependerão da área onde estão localizados (composição do solo, biomassa, condições hidrológicas …) e condições climáticas. Posteriormente, no estágio de processamento artificial de água, certos elementos também são incorporados, como nutrientes minerais (zinco, cálcio, manganês, fosfato e sódio).

Embora os processos de filtração e de desinfecção elimina grande parte dos agentes nocivos que estariam presentes na água, há uma quantidade remanescente na água que entra em nossas casas e a presença destes produtos químicos Eles usam na desinfecção, que também pode ser prejudicial, uma vez que são usados ​​em maior quantidade do que o necessário.

As impurezas admissíveis na água para torná-lo potável são reguladas pelo Real Decreto 140/2003, que estabelece os critérios para a água ser de consumo humano. Este Decreto lista os valores permitidos de “substâncias indesejáveis”. Isto significa, de elementos como ferro, amotino, cobre ou bário, bem como outras substâncias tóxicas, como cianeto, arsênico, cromo ou níquel.

O que isto significa é que substâncias tóxicas podem estar presentes na água que consumimos, desde que não excedam os valores máximos.

Mais e mais médicos e cientistas de todo o mundo começam a denunciar a crescente má qualidade da água, alegando que muitas vezes é desestruturado e poluído mesmo por produtos próprios que são usadas para purificá-la.

Portanto, é necessário ter um processo de filtragem em cada casa para que esses elementos presentes na água “supostamente potável” não nos afetem.

Quando usamos um filtrado, não só notamos a diferença de sabor, uma vez que mostra claramente a eliminação do sabor do cloro e de outros produtos químicos.

Também é evitado ingerir algumas bactérias que produzem doenças e que sobreviveram ao tratamento com cloro. Bem como outros metais pesados ​​como o chumbo presente na água.

Existem muitos tipos de filtros com métodos diferentes:

  • filtro de carvão ativado

Como funciona: Carvão com carga positiva no filtro que atrai e aprisiona muitas impurezas, eliminando os maus sabores e até o cloro.

  • Amaciador de troca catiônica

Como funciona: “Suaviza” água dura por negociação minerais com uma forte carga positiva pelo menos uma carga, retirando cálcio, magnésio, bário e outros íons prejudiciais.

  • destilador

Como funciona: ferve a água e recondena o vapor purificado, eliminando metais pesados ​​(cromo, cobre, cádmio, chumbo, mercúrio, arsênico …)

  • Osmose inversa

Como funciona: Uma membrana semipermeável separa as impurezas da água, eliminando quase todos os contaminantes (metais pesados ​​e parasitas)

  • desinfecção ultravioleta

Como funciona: A luz ultravioleta mata bactérias e outros microorganismos como parasitas e vírus nocivos.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top

Si continuas utilizando este sitio aceptas el uso de cookies. Más información

Los ajustes de cookies de esta web están configurados para "permitir cookies" y así ofrecerte la mejor experiencia de navegación posible. Si sigues utilizando esta web sin cambiar tus ajustes de cookies o haces clic en "Aceptar" estarás dando tu consentimiento a esto.

Cerrar